Manejo Básico

O Betta splendens é bastante resistente, pouco exigente e bem fácil de ser criado. Requer pouco espaço (betteiras de 2 litros já bastam), a água não precisa ser aerada ou filtrada.


Lembre-se, em seu habitat natural, vivem em charcos e plantações de arroz (águas de pouca ou nenhuma correnteza, com baixos níveis de oxigênio) e sua alimentação é basicamente de mosquitos, larvas e vermes, encontrados em abundância nesses locais.



Quatro preocupações básicas precisam ser seguidas para manter o equilíbrio do aquário e evitar o estresse do peixe:


  1. Alimentação bem dosada, variada e balanceada
  2. Manter a água limpa, declorificada (sem cloro) e livre de restos de comida/dejetos dos peixes
  3. Manter o pH entre 6,8 e 7,4
  4. Manter a temperatura da água entre 24 e 30 °C

  1. Alimentação bem dosada, variada e balanceada


Alimente seu Betta splendens, preferencialmente 2 a 3 vezes ao dia. Numa quantidade suficiente para que não sobre alimento na água, que seja consumido imediatamente.

  • Ração granulada: ofereça 3 a 4 grânulos, no máximo, de cada vez.
  • Ração flocada: ofereça uma pitada pequena, bem esfarelada, de cada vez.

Seja exigente na escolha da marca, prefira alimentos capazes de atender as necessidades nutricionais do animal. Isto fará toda a diferença na saúde de seu peixe.


Se você tiver espaço em sua casa/apartamento, tempo e vontade, faça culturas de alimentos vivos. Eles são essenciais na dieta do Betta. Não podendo, compre em lojas de aquários ou de criadores conhecidos. Só não deixe de oferecê-los ao animal.


  • Ofereça alimentos vivos 2 ou 3 vezes por semana, se possível variando o alimento, expandindo as opções do cardápio (alguns alimentos vivos, em alguns períodos do ano, são mais difíceis de se conseguir - geralmente no inverno, nas regiões muito frias).

Na mudança de dieta, é provável que o peixe estranhe o novo alimento. Tenha paciência! Esta é uma reação nornal do peixe e pode ser observada também em outros animais. Vá oferecendo insistentemente e retirando o que foi rejeitado do aquário.



Leia o tópico "alimentação equilibrada" (www.bettabrasil.com.br). Nele discorremos com mais detalhes sobre os alimentos industrializados e vivos.


  1. Água limpa, declorificada (sem cloro) e livre de restos de comida/dejetos do peixe

Em geral, precisamos trocar parcialmente a água da betteira a cada 4 ou 5 dias. Procure substituir algo próximo dos 30% da água do aquário (vide: alertas sobre cuidados com o pH e a temperatura da água).

  • Passe de 70% da água do aquário para outra vasilha (provisória);
  • Em seguida passe o Betta para esta vasilha. Pegue-o com um puçá (redinha), jamais com a mão;
  • Jogue fora o restante da água, limpe bem o aquário, sem produtos químicos (sabão, detergente, etc.);
  • Coloque 30% de água:
    • limpa, descansada, declorificada (existem vários produtos no mercado para este fim - prefira aqueles que preservam a mucosa do peixe);
    • com pH tendendo para 7,0 (neutro); e
    • temperatura na faixa entre 24 e 30 °C, o mais próximo possível da temperatura atual da água da betteira;
  • Volte o peixe e a água que estavam na vasilha provisória, para a betteira.

Assim você evita o estresse excessivo do peixe, preservando sua resistência à doenças e problemas futuros.



  1. Manter o pH entre 6,8 e 7,4

O grau de acidificação ou alcalinidade da água é expressado em valores de pH, o que literalmente significa "poder de hidrogênio".


Esta escala é baseada na inversa concentração de íons de hidrogênio na água, quanto mais íons de hidrogênio, mais ácida é a água e mais baixo o valor do pH, então, quanto menos íons de hidrogênio, mais alcalina será a água e maior será seu valor de pH.


A escala de pH varia entre 0 (extremamente ácida) até 14 (extremamente alcalina), com um pH de 7 sua água será neutra.


escala de pH


Existem muitas opções de kits de medição e produtos para correção de pH, em lojas de aquários, à preços acessíveis. Antes de acrescentar/trocar a água na betteira (aquário), procure equalizar o pH da água descansada e declorificada, tentando levá-la num ponto intermediário entre o pH da água que está no aquário no momento e a neutralidade da água. É preciso evitar grandes alterações de pH e conseqüente estresse do peixe.


Para a correção do pH, siga rigorosamente as instruções do fabricante dos produtos corretivos, tendo como regra básica o exercício da paciência.


Faça a correção do pH de forma lenta, fazendo medições intermediárias, até chegar no ponto considerado ideal. A escala do pH é logarítmica. Um pH de 5,5 é 10 vezes mais ácido do que água com um pH de 6,5. Alterar o pH de forma rápida e abrupta na escala de medição, pode lhe parecer pouco, mas é muito perturbador para os peixes.


  1. Manter a temperatura da água entre 24 e 30 °C

O peixe é um animal pecilotérmico, isto é, adquire a temperatura do meio onde vive. Não possui sangue quente como os mamíferos, por isso o mecanismo biológico está condicionado a temperatura ambiente.


Os cuidados com os parâmetros da água, não se restringem a parâmetros químicos. A temperatura é de vital importância para o peixe. Uma variação brusca na temperatura da água pode ser muito prejudicial a vida do animal.



Para o Betta splendens a temperatura mais adequada deve estar entre 24 e 30 ºC. Nesse intervalo de temperatura as suas funções fisiológicas são estimuladas (crescimento, alimentação e procriação).


Para sabermos a temperatura do aquário, usamos um termômetro que pode ser interno, feito com mercúrio, ou digital (plástico), que é colado no vidro, na parte externa.


Para manter a temperatura sob controle, precisamos de um termostato e de um aquecedor. O termostato se encarrega de ligar e desligar o aquecedor, sempre que necessário.


Nas trocas parciais de água, evite colocar a água nova em uma temperatura muito diferente da encontrada no aquário, principalmente no inverno.


Saiba mais sobre a espécie visitando o website Betta Brasil (http://www.bettabrasil.com.br) e participando do grupo de discussões sobre o tema, mantido pelo mesmo website: http://br.groups.yahoo.com/group/bettabrasil/.

Marcio Luiz de Araujo
falecom@bettabrasil.com.br
Empresário da área de TI, desenvolve soluções para web. Graduado em Administração de Empresas pela PUC Campinas/SP. Aquarista hobbysta, apaixonado pela espécie Betta splendens, desenvolve e mantém o website Betta Brasil, é owner do Grupo de Discussões Betta Brasil.





Nós confiamos em Deus!