Notícias: Ladrões usam Google Earth para roubar peixes

Ladrões usam Google Earth para roubar peixes

Imagens serviam para ajudar na identificação das espécies disponíveis

Ladrões de peixes exóticos têm utilizado o serviço de imagens por satélite do Google, o Google Earth, para roupar carpas e outras espécies de jardins com lagos no Reino Unido. Alguns peixes chegam a valer centenas de libras, relata o jornal inglês The Telegraph.

Para a polícia, a internet é utilizada para determintar os alvos dos ladrões.

Segundo um dos agentes locais, citado pelo jornal, as imagens presentes no serviço de mapas online são nítidas o suficiente para permitir a identificação dos peixes criados nos quintais e jardins.

– Uma das propriedades roubadas tem um muro de quatro metros de altura e fica em uma esquina. É impossível se enxergar a parte dentro da propriedade – relatou Sam Gregory, da polícia comunitária local.

Entre as vítimas está Robert Barnes, 65 anos, que perdeu quatro carpas após a ação dos bandidos em sua propriedade. Pela descrição dos ladrões, não são um grupo sofisticado.

– Minha vizinha me contou que vira dois rapazes com uma bicicleta com uma caica e uma rede – relatou Barner ao jornal.

Um porta-voz do Google declarou que a ferramenta disponibilizada pela empresa não é a única na internet a oferecer imagens de satélite.

Na Inglaterra, o Google é alvo de polêmicas eventualmente. Flagras de maridos traindo esposas e Ovnis são algumas das ocorrências envolvendo recursos da farreamente como o Street View, que permite aos usuários dar um passeio em 360º pelas ruas de cidades fotografadas pela equipe do buscador.

Matéria retirada do site: http://www.clicrbs.com.br no dia 29/06/2009

Postada por:

Thiago Cruz - thiago@aquariushobby.com.br

Av. Dr. Armando Sales de Oliveira, 730 Taquaral - Campinas SP CEP. 13076-015 Fone: +55 19 32949055 ou +55 19 19 32940644.

p1

Noticias: Nova remeça de peixes da Amazônia

Esta semana 29 de junho chegou na Aquarius Hobby nova remeça de Peixes da Amazônia:

Neon; Paracheirodon axelrodi
Rodótomus; Hemigrammus rhodostomus
Rasáceo; Hyphessobrycon erythrostigma
Borboleta; Carnegiella strigata
Acari Pepita de ouro; Baryancistrus sp.
Bodó ceda; Ancistrus sp.


As fostos abaixo mostram os animais em processo de aclimatação nas baterias para serem soltos.




Foto abaixo mostra Neons em processo de aclimatação para serem soltos nas baterias.



Matéria postada por:

Thiago Cruz

Av. Dr. Armando Sales de Oliveira, 730 Taquaral - Campinas SP CEP. 13076-015 Fone: +55 19 32949055 ou +55 19 19 32940644.




Nós confiamos em Deus!

p1

Vitrine: Projeto Bonito

O video abaixo mostra o trabalho de observação e construção de um dos Maiores (se não o maior) lagos artificiais de Brasil.



As fotos mostram o lago alguns meses após sua montagem:




Matéria postada por:

Thiago Cruz

Av. Dr. Armando Sales de Oliveira, 730 Taquaral - Campinas SP CEP. 13076-015 Fone: +55 19 32949055 ou +55 19 19 32940644.




Nós confiamos em Deus!

p1

Noticias: Chega na Aquarius Hobby New Spectrum Life ( Ração Premium)





Para ver o video acesse: http://www.youtube.com/watch?v=bJJbsprKl34

Matéria postada por:

Thiago Cruz

Av. Dr. Armando Sales de Oliveira, 730 Taquaral - Campinas SP CEP. 13076-015 Fone: +55 19 32949055 ou +55 19 19 32940644.





Nós confiamos em Deus!

p1

Artigo: Betta splendens, seres fascinantes


Betta splendens, seres fascinantes
Entre os peixes ornamentais de água doce, são considerados os mais bonitos

Desde os meados da década de 70, os Bettas splendens começaram a aparecer no Brasil e caíram no gosto popular.

Originários do sudeste da Ásia, se espalharam pelo mundo. Eles foram trabalhados geneticamente ao longo dos anos e hoje possuem milhares de variações de cores e mais recentemente, formatos de caudas diferenciados. De sua aparência selvagem, caudas curtas e cores opacas, nada mais existe. Oferecem aos apaixonados pela espécie, enorme diversidade de opções de escolha, no momento de decidir qual linhagem desejam trabalhar ou simplesmente criar como mascotes. Praticamente não há limites!


Por serem peixes territorialistas, espécimes machos, precisam ficar confinados em aquários individuais. Já, espécimes fêmeas, podem habitar aquários coletivos, sem maiores problemas.

Como a maior parte do oxigênio que consomem vem de fora da água, através do labirinto, órgão interno responsável pela absorção do oxigênio injetado na corrente sangüínea do peixe, podem viver em água pobre de oxigenação. Esta característica do peixe também ajudou a popularizá-lo, pois reduz substancialmente o custo inicial de compra de equipamentos para criá-los. Basta um pequeno aquário, água, um kit de medição de pH de água, anti-cloro e ração industrializada para manter o mascote vivo e saudável. Acrescente a esta lista, um aquecedor e um termostato, se você mora em regiões do país, onde as temperaturas são instáveis ou abaixam muito no inverno.

O aquário não precisa ser grande, de 3 a 5 litros, são suficientes. Não requer aeração (bombas aeradoras), nem filtros (físicos, químicos ou biológicos). A cada 2 ou 3 dias, faça uma TPA (Troca Parcial de Água). Retire 30% da água do aquário e substitua por água nova, isenta de cloro e metais pesados, com parâmetros similares de temperatura (ideal entre 24 e 30 °C) e pH de água existentes no aquário (ideal entre 6,8 e 7,4), para não estressar o peixe.

Alimente seu peixe sempre em pequenas quantidades, várias vezes ao dia, se você pode fazer isto. Peque pela falta de alimentos, jamais pelo excesso. Se sobrar comida no fundo aquário, sifone as sobras para que a comida não venha a fungar dentro do aquário, prejudicando a qualidade da água e conseqüentemente comprometendo a saúde do animal.

Não faça economia na hora da escolha do alimento para o seu peixe. Compre o que há de melhor para o seu mascote, por mais oneroso que possa lhe parecer o pote da ração. Perceba que ela vai durar muito tempo, ao ponto de significar algumas míseras frações de centavos de reais por dia. Compre rações granuladas ou flocadas, os bettas aceitam bem os dois tipos.


Ocasionalmente e se possível, ofereça alimentos vivos para o seu peixe, tais como: náuplios de artêmias salinas, artêmias salinas adultas, daphnias, micro-vermes, vermes-do-vinagre, larvas de besouro-do-amendoim, larvas de pernilongo, enquitréias, vermes-de-grindall, branchonetas, moinas, etc. Seu animal agradecerá e retribuirá exibindo cores vibrantes, vigor físico e sexual. A maioria destes alimentos vivos podem ser cultivados sem maiores dificuldades, mesmo em pequenos espaços.

Então? O que você está esperando? Vá a loja de aquários ou petshop mais próxima de sua casa, escolha o Betta splendens mais bonito e ativo da loja e comece já neste magnífico hobby!

Saiba mais sobre a espécie visitando o website Betta Brasil (http://www.bettabrasil.com.br) e participando do grupo de discussões sobre o tema, mantido pelo mesmo website: http://br.groups.yahoo.com/group/bettabrasil/.



Marcio Luiz de Araujo
falecom@bettabrasil.com.br
Empresário da área de TI, desenvolve soluções para web. Graduado em Administração de Empresas pela PUC Campinas/SP. Aquarista hobbysta, apaixonado pela espécie Betta splendens, desenvolve e mantém o website Betta Brasil, é owner do Grupo de Discussões Betta Brasil.

Matéria retirada da revista Junho/2009
NegóciosPet - Mercado Pet, Aquarismo e Banho e Tosa
Editora: Top.Co.
Ano 11 - Edição nº 116
pp 64-66




Nós confiamos em Deus!

p1

Como comprar Bettas splendens (Betta Brasil)


Existem alguns procedimentos básicos e importantíssimos para efetuar compras de Bettas splendens. Seja em estabelecimentos comerciais, ou diretamente com criadores que desenvolvam linhagens especiais.

Comprando numa loja:

Observe a higiene e limpeza do estabelecimento comercial. Observe o cuidado com que tratam os animais;

Selecione o peixe que se movimenta bastante na betteira e que, de preferência, já esteja nidificando, se for exemplar macho. O peixe deve ter aparência saudável. Evite comprar peixe apático, pois pode estar doente;

Peça ao atendente que alimente o peixe. Observe que alimento é oferecido, repare como o peixe reage à oferta de alimento. O peixe deve avançar em direção da comida, com vontade. Se o comportamento for de indiferença, aborte a compra deste exemplar;


Se for exemplar macho, peça ao atendente que aproxime a betteira do peixe escolhido à outra betteira contendo outro exemplar da espécie, de preferência outro macho. Observe a reação do peixe. Ele deverá se armar todo, para combater o oponente que se aproxima de seu território, exibindo todo o explendor de suas cores, nadadeiras e opérculo abertos. Se o comportamento for de apatia, aborte a compra deste exemplar;

Acompanhe a embalagem do peixe. Cuide para que ele seja embalado para transporte, na mesma água onde estava exposto. Na embalagem observe se existe água suficiente para cobrir duas vezes o corpo do peixe, no mínimo, e ar suficiente para o peixe respirar - betta saudável e bem embalado, agüenta mais de 10 (dez) dias nesta condição, se for extremamente necessário.

O saco plástico usado para transporte deve ter as suas pontas presas com fita adesiva, dando-lhe um formato arredondado, para impedir que o peixe fique preso na embalagem e acabe morrento no transporte. Dicas Úreis:

Saiba que este processo de embalagem, transporte, chegada num novo ambiente, adaptação ao novo manejo, estressa demais o peixe e este é o caminho para que doenças se manifestem.

Procure minimizar o estresse do peixe;


Não se iluda com o tamanho do peixe. Geralmente Betta splendens enormes, expostos em lojas, já são exemplares em fim de carreira, descarte de criatórios. Se você pretende acasalar o peixe, pior ainda, pois sua nadadeira caudal enorme e pesada dificulta os seus movimentos e o acasalamento, cansa o peixe. Escolha peixes jovens, possivelmente menores;

Se o estabelecimento comercial oferece aos peixes que estão em exposição para venda, um alimento diferente daquele que você costuma oferecer aos seus peixes, no seu manejo habitual, consiga ou compre um pouco do alimento usado pela loja, para ajudar o peixe em sua adaptação ao novo alimento que você costuma usar;

Alguns lojistas mais cuidadosos, aplicam na água de transporte, extrato de Aloe Vera ou Floral de Bach (Rescue) - preparado com água, ao invés de conhaque, para acalmar o peixe. Se este tratamento estiver disponível na loja em que você está adquirindo o peixe, excelente.


Faça questão de que seja usado no peixe que você está levando para casa. Se não estiver disponível e se você for prevenido, poderá levar um pedaço de folha de amendoeira de casa, para colocá-lo na embalagem. Esta folha tem propriedades fungicidas/bactericidas e também acalma o peixe.

Matéria cedida gentilmente por:

Marcio Luiz de Araujo / www.bettabrasil.com.br
falecom@bettabrasil.com.br
Empresário da área de TI, desenvolve soluções para web. Graduado em Administração de Empresas pela PUC Campinas/SP. Aquarista hobbysta, apaixonado pela espécie Betta splendens, desenvolve e mantém o website Betta Brasil, é owner do Grupo de Discussões Betta Brasil.




Nós confiamos em Deus!

p1

Vitrine: Aquário Prof. Rogério

Este aquário, possui 120cm de comprimento, 50cm de largura e 50 cm de altura. Porém seu formato é diferente dos convencionais (retangular). Este é em formato de U com aproximadamente 260Lt.

Começamos a realizar a manutenção com o aquário já montado, porém estava totalmente largado a cerca de dois meses, então primeiramente realizamos a limpeza do aquário:

A foto acima mostra o aquário já com dois meses de manutenção.


-Trocas parciais de água sinfonando o aquário e removendo uma boa quantidade das pedras pois possuíam altas concentrações de alga peteca (Audouinella)

-Manutenção nos filtros cannister e externo, com trocas de lã, carvão ativado e para melhorar a filtragem biológica colocamos Sera Siporax.

Obs. Nunca realizar trocas parciais de água no mesmo dia da troca de elementos do filtro. Sempre colocar bactérias nitrificantes (benéficas) tanto em TPA's quanto Trocas de elementos filtrantes. (Stress zymme, Cycle entre outros)

- Na iluminação trocamos lâmpadas PL convencionais por Cora life.

-Adicionamos suplementos da Sera Florenette e Floreplus no substrato para melhor desenvolvimento das plantas e CO2.


Após trocas TPA's, melhora na filtragem e algumas plantas novas, já era possível notar grandes diferenças, tanto na fauna como na flora.


Foto acima mostra alguns dos habitantes do aquário.


Abaixo temos fotos da parte de trás do aquário, que tem uma pia bem no meio, sempre nos ajudou muito para realizar as manutenções.




Nas fotos a seguir o aquário com mais de 1 ano de manutenção.




Este aquário possui:

Fauna: Neon, Rosáceo, Rodóstomus, Tetra Tocantins, Mato Grosso Véu, Corridoras (Aenus, Swartz e Melina), Discus, Acaris (Pepita de Ouro, Zebra Queen, Aba Laranja, Onça Pintada), Bótias (Lohachata, Macracanta e Skunk), Melanotaenias (Neon, Maçã, Boesemani e outras), Cruzeiro do Sul, Neon Negro, Tetra Imperador, Tetra Blue Eyes, Corbiculas, Tetra Telmaterina, Tetra Enfermeirinha.

Flora: Anubia, Vallisnéria, Cabomba, Elódea, Ninféia, Amazonense, Mayaca, Hemianthus micranthemoides, Hygrophila polysperma "rosanervig" (Higrófila Sunset a que melhor se desenvolveu no aquário)

Filtragem: 01 Canister VA 450 e 01 Penguim.

Iluminação: 02 10000K VHO Coralife, 02 Coralife compactas.

Matéria postada por:

Thiago Cruz

Av. Dr. Armando Sales de Oliveira, 730 Taquaral - Campinas SP CEP. 13076-015 Fone: +55 19 32949055 ou +55 19 19 32940644.





Nós confiamos em Deus!

p1

Doenças: Olhos Saltados ou Pop Eye


Imagem retirada do site: http://freshwatercichlids.info

- Sintomas: O problema é causado por infecções por bactérias, parasitas e problemas na água do aquário relacionados ao pH. Peixe acaba ficando com os olhos saltados ou muitas vezes embaçado.

Imagem retirada do site: http://www.reefland.com

- Tratamento: Pode ser utilizado Melafix na proporção de 5 ml para cada 40 litros de água, durante 7 dias seguidos. Aumentar a temperatura do aquário para 30º C e retirar o carvão ativado do filtro (pois o mesmo pode absolver o remédio).

Recomendamos trocar cerca de 20% a 30% da água do aquário uma semana após o termino do tratamento.

Fontes: http://www.aquahobby.com/articles/b_protozoos.php

http://www.aquahobby.com/articles/b_dropsy.php

www.lateshow.com.br/news/news_materia116.htm

AGUILAR, R.; HERNÁNDEZ-DIVERS, S.M.; HERNÁNDEZ-DIVERS, S.J. Atlas de Medicina,
Terapêutica e Patologia de Animais Exóticos. São Paulo. 2007. Interbook

Matéria postada por:

Bianca Zupiroli

Av. Dr. Armando Sales de Oliveira, 730 Taquaral - Campinas SP CEP. 13076-015 Fone: +55 19 32949055 ou +55 19 19 32940644.




Nós confiamos em Deus!

p1